fbpx

6 lições de autocuidado para (futuros) médicos

414

Desde o ensino médio, o futuro médico enfrenta uma rotina exaustiva. As horas dedicadas ao estudo, a autocobrança, a competição com outros vestibulandos e a pressão de pais e amigos geram uma carga emocional e de estresse.

Depois de passar no vestibular, a primeira sensação é de alívio. Você pensa: “conquistei minha vaga, agora meu sonho é realidade”. Mas começar qualquer graduação traz seus desafios!

A graduação de Medicina, especificamente, exige muito do acadêmico. Você se deparou ou vai se deparar com uma rotina ainda mais intensa e a responsabilidade de lidar com a vida dos seus pacientes.

Para lidar com essa alta carga de atividades e cobranças, é preciso aprender a cuidar da própria saúde mental.

O que é autocuidado?

Autocuidado virou um termo da moda! Nas redes sociais, diversos influenciadores falam sobre a temática e despertam a atenção de milhares de seguidores.

Infelizmente, a prática de se cuidar ainda está muito associada a processos meramente estéticos, como o cuidado com a pele e exercícios para a perda de peso. Mas é sempre bom lembrar que autocuidado, na verdade, é sobre autoestima e autorresponsabilidade.

Vamos às dicas de autocuidado?

Conversamos com a psicóloga Mirian Conrado, do Núcleo de Apoio Psicopedagógico (NAPP) do curso de Medicina da Rede UniFTC, sobre autocuidado para estudantes de Medicina.

Nesse texto, vamos misturar esse papo com algumas frases famosas para você entender como se cuidar melhor no dia a dia 🙂

Se você não sabe aonde ir, qualquer caminho serve.

O autoconhecimento é o primeiro passo do autocuidado. Para se dedicar ao seu próprio desenvolvimento, você precisa ter uma visão muito clara de quais são suas forças, fraquezas, oportunidades e desafios.

Se investigue! Se questione com frequência!

Descubra qual é o seu propósito, o que é que te movimenta? Entenda onde você quer chegar e tente entender quais passos precisam ser dados nesse sentido!

Também é importante se conectar com as suas próprias emoções sem tentar controlá-las ou esconder aquelas que não são tão positivas. Raiva, medo, insegurança e tristeza são emoções naturais e salutares, o exercício aqui é reconhecê-las, reconhecendo também seus gatilhos.

O corpo fala o que a boca cala

Por muitos séculos, estudamos corpo e cabeça isoladamente. Mas, hoje, sabemos que não é bem assim que funciona… A mente e o físico trabalham em conjunto para alcançar equilíbrio. E, quando um dos dois está em sofrimento, o outro também padece.

A psicossomatização é um fenômeno bastante comum e amplamente validado pela ciência. Com a mente abalada, o corpo dá seus sinais para se proteger ou para te mostrar que está na hora de cuidar de você!

O sofrimento psicológico pode se manifestar fisicamente através daquela dor de cabeça sem razão aparente, um quadro recorrente de resfriado ou problemas gastrointestinais, por exemplo. Preste atenção nos sinais!

E, para evitar a somatização, tente não guardar tudo para você.

Corpo são, mente sã

Manter uma rotina de atividades físicas pode trazer diversos benefícios para a sua saúde física, dá uma olhada:

  • Melhora da circulação sanguínea;
  • Fortalecimento do sistema imunológico;
  • Reduz as chances de desenvolver algumas neoplasias;
  • Reduz a incidência de doenças cardíacas e diabetes;
  • Fortalece ossos e músculos;
  • Alivia dores crônicas

A lista de benefícios físicos é imensa! Mas, além do físico, movimentar seu corpo pode ter efeitos benéficos também para a sua saúde mental.

Ao praticar uma atividade, seu corpo começa a liberar hormônios de bem-estar e ativa alguns circuitos neuronais que propiciam o equilíbrio emocional.

Esperamos já ter te convencido a incluir algum esporte na rotina! Mas, antes de começar, cheque sua saúde física e busque um educador físico para te orientar.

Filtre o que você consome – Você é o que você consome

Você já deve ter ouvindo aquela máxima “você é o que você come”, certo? Como cientistas, sabemos que isso é realmente verdade. A nossa proposta é expandir esse conceito para além do prato.

Afinal, não é só de comida que a gente se alimenta, né?

Cada uma de nossas vivências é responsável por nos nutrir de uma forma. Boas e más notícias, relações saudáveis e abusivas, hobbies e obsessões, fofocas e conversas edificantes. Comece a filtrar os conteúdos que você consome e se permita ser nutrido pelo que for positivo.

Atenção: Esse não é um convite à alienação, hein? Pelo contrário! Esteja consciente da realidade do seu entorno, pessoal e coletivamente. Mas só traga para dentro do seu corpo e mente aquilo que lhe fizer crescer!

A vida é trem-bala, parceiro

Você já ouviu essa música? É uma canção popular bem chiclete que virou legenda de muitas fotos nas redes sociais. A letra traz uma mensagem super importante: aproveite o momento.

Com tantas tarefas e cobranças, é difícil estar realmente presente. Nosso corpo até está aqui, mas a mente já viajou ao futuro e ao passado tantas vezes… Essa dispersão pode prejudicar os pequenos momentos, óbvio, mas pode também gerar um problema mais sério relacionado à ansiedade.

Nesse cenário, o Mindfulness surge como uma ferramenta fundamental para te ajudar a estar ancorado no momento presente, evitando distrações. Algumas técnicas de “atenção plena” podem ser empregadas em sua rotina. Pesquise e experimente viver o agora!

Ninguém é uma ilha

Nossa última dica, na verdade, é um apelo. O autocuidado é, sim, um processo muito individual e íntimo, mas para estar bem consigo é preciso estar bem em suas relações sociais.

O ser humano é um ser biopsicossocial. E é preciso considerar esses três aspectos na hora de buscar um estado de bem-estar completo.

Cultive suas amizades. Aproveite a faculdade para trocar experiências com colegas. Mantenha contato com quem te faz bem. Estipule limites. Peça ajuda.

Em momentos mais difíceis, é comum se isolar. Mas você pode e deve pedir ajuda para sua família, amigos e colegas.

Os estudantes de Medicina da Rede UniFTC contam ainda com o suporte do Núcleo de Apoio Psicopedagógico (NAPP). Todas as terças e quintas-feiras, de 9h às 11h, é possível acessar uma sala de acolhimento através da plataforma Blackboard. Confira:

você pode gostar também Mais do autor

Comentários estão fechados.

Ligue pra gente!